CONSULTAR

quinta-feira, 21 de abril de 2011

SEGURANÇA DOMÉSTICA (Realizando Trabalho Em Casa)



ATERRAMENTO PARA COMPUTADORES

Como normalmente as residências (95%) não possuem o fio terra o indicado para a instalação de um computador a solução é utilizar estabilizador de carcaça plástica, pois para ser um isolante evita 100% dos choques elétricos sendo essencial para o funcionamento dos computadores. Normalmente são colocados no chão onde o perigo torna-se de alto risco, pois os adultos e principalmente as crianças poderão tomar um choque, porque a caixa dos estabilizadores normalmente são metálicas e na instalação não se o terra, correndo um constante perigo.

Os usuários que estão nesta situação devem trocar urgentemente o estabilizador por um de gabinete plástico ou regularizar a sua instalação.


CHUVEIRO ELÉTRICO

Na residência, o chuveiro elétrico é o equipamento de maior risco porque o choque elétrico ocorre no corpo humano com a pele molhada. De acordo com as Normas, na área do chuveiro, isto é, no box, não podem existir tomadas nem dispositivos de controle e manobras. A mudança de temperatura de chuveiros comumente utilizados é feita utilizando-se uma chave seccionadora do tipo faca, instalada na parte superior do chuveiro.

Esta chave de manobra tem os seguintes problemas:

Não é adequada para operar sob carga;

Não está posicionada na parte superior;

Está muito alta para o operador;

Está muito próxima do chuveiro;

Geralmente é muito dura;

Contraria a Norma.

Muitas pessoas, e com razão, tem receio em manobrar esta chave, utilizando para tal, atitudes esdrúxulas, com o emprego de:

Cabo de vassoura;

Toalhas; chinelos;

Etc.


Muitas pessoas, por desconhecimento, efetuam a mudança de temperatura do banho com o chuveiro ligado, correndo sérios riscos de vida, pois inevitavelmente nestas condições a pele está molhada. Além de todos estes problemas, há ainda o problema das instalações inadequadas de chuveiros elétricos.

Pode – se classificar essas instalações em:

Instalações Muito Comuns

Instalações Comuns

Instalações Melhores

A Melhor Instalação, sem Riscos


INSTALAÇÃO MUITO COMUM

Atualmente alguns fabricantes constroem o chuveiro elétrico com um pedaço de fio muito curto, dificultando a realização de uma boa conexão. A fita isolante destas emendas, com o tempo, desprende e a forte umidade propicia a corrosão galvânica, prejudicando o contato elétrico, aumentando a resistência elétrica das emendas.

Esta elevação da resistência, além de consumir energia, produz queda de tensão, prejudicando o funcionamento do chuveiro elétrico. A sugestão é eliminar a emenda, isto é, o fio deve ir direto nos terminais da manopla interna do chuveiro.

Outro problema decorrente desta instalação é o defeito da quebra da isolação do fio fase dentro do chuveiro, energizando a carcaça metálica, e esta estando com a tensão da rede elétrica, deixa o chuveiro em alta situação de perigo. Um terra na carcaça do chuveiro eliminaria este problema porque o disjuntor deste circuito abriria instantaneamente.

Deve-se também eliminar a tomada do chuveiro elétrico.

INSTALAÇÃO COMUM

Esta instalação tem todos os problemas anteriores, apenas melhorou-se um pouco no aspecto de segurança relativo a falha interna na isolação do chuveiro. Esta instalação presenteia o usuário com um risco adicional, pois se inadvertidamente o plug é virado, neste caso, energizaria diretamente a carcaça.

INSTALAÇÃO MELHOR

Neste caso, como o fio terra é independente, a carcaça do chuveiro elétrico, está imune das possíveis perturbações do fio neutro.


A MELHOR MANEIRA, SEM RISCOS

A melhor maneira de ligação de modo a contornar os riscos apresentados e operar restritamente dentro das Normas é a seguinte:

Note-se que na ligação os fios vão direto da caixa de passagem ao chuveiro elétrico. Os pedaços de fios do fabricante foram eliminados, anulando os problemas das emendas e da tomada. A chave do controle do chuveiroquentemorno - frio - foi eliminada, isto é, desativada. Os dois disjuntores passam a controlar a temperatura do banho.

No caso, por exemplo, o controle é feito do seguinte modo:

Banho frio - 2 disjuntores desligados;

Banho morno - disjuntor M ligado e Q desligado;

Banho quente - disjuntor Q ligado.


CHOQUE NO REGISTRO DO CHUVEIRO ELÉTRICO

Quando o aterramento é precário ou mesmo não existe e principalmente em regiões com água salobra ou nas praias, percebe-se choques elétricos na manopla ou registro. Isto porque, com o decorrer do tempo, forma-se dentro e no fundo do cano de PVC um depósito em forma de trilho, por onde se dá a fuga de corrente, energizando o registro.


HOLOFOTES E POSTES METÁLICOS ORNAMENTAIS

Cuidados especiais devem ser tomados em relação a equipamentos metálicos elétricos que ficam expostos ao tempo e ao alcance de pessoas, principalmente crianças. As suas partes metálicas dever ter um bom aterramento elétrico e a conexão do cabo de ligação à massa deve ter um bom contato e ser vedado com material emborrachado, para evitar futuras corrosões. Estas carcaças expostas ao tempo, tornam-se um elemento de alto risco, principalmente durante as chuvas.


CORTADOR DE GRAMA

Outro equipamento de alto risco caseiro é o Cortador de Grama. Este deve ser manuseado com todo cuidado porque facilmente pode produzir choques.

BOTÃO DE CAMPAINHA

O botão de campainha, colocado no portão ou muro, quando molhado, produz , em geral, choque elétrico. O botão por ser muito manobrado danifica-se e, exposto à chuva, produz fuga de corrente e conseqüente perigo de choque elétrico. A maneira de contornar o problema é utilizar uma das alternativas:

Botão abrigado da chuva;

Botão blindado;

Botão comum, energizado por circuito isolado da terra.

CERCAS METÁLICAS

Cercas metálicas de grande extensão devem ser aterradas. Esta precaução deve-se a possibilidade de energização acidental devido a:

Queda de raios;

Queda de fios ou cabos da rede de energia elétrica;

Outros contatos de qualquer natureza.

Cercas de arame farpado longas devem ser aterradas em vários pontos. As que transpassam redes de energia elétrica devem ser seccionadas e aterradas.

FERRO ELÉTRICO

O ferro elétrico é, também, um aparelho de alto risco. O risco deve-se principalmente as suas características próprias e defeitos de operação:

Aparelho móvel, isto é, sua operação exige movimentos em várias direções e posições;

Aparelho pesado;

Aparelho com grande área metálica;

Alta temperatura;

Fio flexível sem fio terra.

FIOS CAÍDOS E PODA OU CORTE DE ÁRVORES

Os fios podem cair sobre estrutura metálica, energizando uma grande área, ampliando o risco do choque e no caso do crescimento das árvores, esta alcançam os cabos da rede de energia elétrica,e podem provocar curto-circuito e colocar em risco a segurança humana.


TOMADA TRIPOLAR

As tomadas tripolares que alimentam equipamentos monofásicos, tem a vantagem de ter posição única e bem definida. Em termos de segurança, a desvantagem é que não se tem certeza do contato elétrico do pino terra do plug com o ponto de recepção terra da tomada tripolar. Este detalhe pode se dar devido há uma tomada de péssima qualidade, ou mesmo não haver internamente a parede o fio terra chegando na tomada, muito comum em instalações residênciais, com objetivo de evitar o corte do pino terra de equipamentos como estabilizadores de voltagem ou diretamente computadores e outros.

A perda do terra deixa o equipamento em condição insegura. Esta situação é a grande causadora de mortes e principalmente nos exames invasivos dos equipamentos elétricos hospitalares.

Um comentário:

Guita Costa disse...

Parabéns pelo blog! Muito interessante.